‘Justiça Bandeirante’ chega à região de Presidente Prudente

        O projeto Justiça Bandeirante chega nesta semana à 5ª Região Administrativa Judiciária (RAJ), com sede em Presidente Prudente. Ontem (17), 138 servidores de diversas comarcas da região participaram da abertura dos trabalhos no Fórum de Presidente Prudente. O Justiça Bandeirante é uma iniciativa para identificar e recapacitar os funcionários do TJSP nas melhores práticas do uso do Sistema de Automação da Justiça (SAJ). O objetivo final é aumentar ainda mais a produtividade do Judiciário paulista e beneficiar a população que busca no Tribunal uma solução para suas aflições.

        A abertura do evento ficou a cargo do juiz Silas Silva Santos, que representou o juiz diretor da 5ª RAJ, Antonio Roberto Sylla. Ele agradeceu, em nome de toda a Justiça da região, à Presidência do TJSP pela oportunidade de receber o projeto. Titular da 2ª Vara Cível de Presidente Prudente, o magistrado ressaltou a importância do projeto para o aprimoramento dos serviços judiciários. Como coordenador do núcleo local da Escola Paulista da Magistratura (EPM), colocou o setor à disposição do projeto.

        O juiz assessor da Presidência Aléssio Martins Gonçalves transmitiu aos presentes a saudação do presidente da Corte, desembargador Paulo Dimas de Bellis Mascaretti. Aléssio explicou o funcionamento do projeto, atualmente em sua primeira etapa. Inicialmente, todas as 10 RAJs do Estado receberão workshops, como o da ocasião, que servem para treinar servidores e colher sugestões, experiências exitosas e críticas. De posse do resultado dos debates, a Secretaria de Tecnologia da Informação (STI) do Tribunal consolidará e replicará em larga escala as melhores práticas em cursos que serão ministrados, tanto na forma presencial como a distância, a partir de julho, com ajuda da EPM e da Escola Judicial dos Servidores (Ejus).

        “Se não colocar a máquina a meu favor, terei nada mais do que o processo físico dentro do computador”, resumiu Rafael Mota, instrutor da Softplan, empresa que desenvolve o SAJ. Ele informou que um estudo da companhia concluiu que uma Vara pode economizar até 350 horas de trabalho por mês se utilizar todas as ferramentas disponíveis no sistema.

        Os temas abordados pelo instrutor foram publicação e certificação em lotes; pauta de audiência; anotações no processo; configuração de colunas e observação; lançamento de eventos na história das partes; modelos de documentos e configuração de atos; controle automatizado de prazos; e arquivamento digital. “Ao ganhar tempo em uma atividade podemos adiantar o próximo serviço, criando um círculo virtuoso”, afirmou.

        Segundo o servidor Paulo Rogério Naldi, assistente judiciário do Departamento de Execuções Criminais de Presidente Prudente, “o grande trunfo da palestra foi passar elementos para padronização do uso do SAJ”. “Tivemos a oportunidade de aprender mais sobre algumas funcionalidades que até já usamos”. Para a diretora do 1º Ofício Criminal de Presidente Prudente, Maria Eunice Bispo Camara, foi interessante saber quanto tempo é possível economizar ao adotar alguns procedimentos.

        No período da tarde os participantes foram divididos em grupos para trocar experiências. Eles foram orientados a compartilhar exemplos de como aplicam o sistema em seu dia a dia, destacar vantagens e apontar riscos e impedimentos que tenham percebido.

        Participaram do evento servidores de Panorama, Pirapozinho, Presidente Epitácio, Presidente Venceslau, Quatá, Rancharia, Regente Feijó, Rosana, Santo Anastácio, Teodoro Sampaio e Tupã. Nos próximos dias servidores das demais comarcas da região terão a oportunidade de participar. Na quinta-feira (19) o Justiça Bandeirante acontece em Marília, para facilitar o deslocamento dos funcionários lotados em locais mais distantes de Presidente Prudente.

        
Comunicação Social TJSP – GA (texto) / RL (fotos)
        
imprensatj@tjsp.jus.br

COMUNICAÇÃO SOCIAL

NotíciasTJSP

Cadastre-se e receba notícias do TJSP por e-mail