Notícia

TJSP promove palestra sobre Constelação Familiar
30/08/2017

O Tribunal de Justiça de São Paulo, por meio da Coordenadoria de Apoio aos Servidores (CAPS) e em parceria com a Escola Judicial dos Servidores (EJUS), promoveu ontem (29) a palestra Constelação Familiar – Aplicação e Prática. Cerca de 250 servidores acompanharam o evento na Sala do Servidor, no Fórum João Mendes Júnior, e 619 por transmissão online.

O desembargador Antonio Carlos Malheiros, responsável pela CAPS, participou da abertura e destacou sua alegria ao saber que o tema despertou o interesse de muitos funcionários.

A primeira palestrante foi Luciana Soares Buschinelli, assessora jurídica nos setores empresarial, de Família e Sucessões e imobiliário. Ela abordou a ciência das constelações familiares sistêmicas desenvolvida pelo terapeuta e filósofo alemão Bert Hellinger, autor que, segundo a convidada, trouxe um novo olhar sobre a solução de litígios. “Uma decisão imposta por uma lei ou por uma sentença judicial pode até trazer uma solução, mas muitas vezes não é capaz de solucionar verdadeiramente a questão, de trazer paz às pessoas. O direito sistêmico se propõe a encontrar a verdadeira solução, conduzindo a parte para que ela veja onde está o obstáculo, e ela mesma resolva.”

Luciana Buschinelli explicou que aquilo que não é vivido em sua plenitude, conciliado e corrigido em uma geração, passa para a próxima – o chamado “vínculo sistêmico”. “A beleza do nosso trabalho mostra que somos apenas o caminho; a pessoa precisa estar consciente, senão não chega a lugar algum. A base de tudo é o amor”, encerrou.

A outra palestrante, Irene Cardotti Boccalandro, também iniciou sua explanação falando sobre Helinger. Ela, que é psicoterapeuta familiar sistêmica, explicou que o primeiro requisito da constelação é que a pessoa consiga verbalizar um problema pessoal, tenha o interesse de examiná-lo, e, se possível, superá-lo. Feito isso, vai escolher uma pessoa que a represente, depois uma ou várias pessoas para representar os indivíduos que fazem parte do problema focado.

A convidada narrou alguns casos em que foram aplicadas as técnicas da constelação familiar e a importância desse trabalho para seu crescimento pessoal e profissional. “O trabalho com a constelação transformou a minha vida e a de muitas pessoas, e pode transformar ainda mais a vida de outras, quanto mais a técnica for conhecida”, concluiu.

Ao final, as palestrantes receberam do desembargador Antonio Carlos Malheiros certificado do TJSP.

As juízas Luiza Barros Rozas e Maria Isabel Rebello Pinho Dias também estavam presentes.

 

Comunicação Social TJSP – SO (texto) / RL (fotos)

imprensatj@tjsp.jus.br