Comunicação Social

Notícia

“Boas Práticas do Sistema de Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente” premia as melhores iniciativas

Representantes das dez RAJs participaram do concurso.

 

        O TJSP, a Fundação Maria Cecília Souto Vidigal e o Instituto Alana premiaram ontem (16) os melhores trabalhos do concurso “Boas Práticas do Sistema de Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente”, em cerimônia realizada no Palácio de Justiça. O concurso teve o objetivo de reconhecer os trabalhos realizados por organizações públicas e privadas sem fins lucrativos integrantes do Sistema de Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente, com foco na primeira infância (período de desenvolvimento infantil que vai até os seis anos de idade).

        As melhores iniciativas, eleitas por profissionais da área, ganharam uma viagem (passagem, hospedagem e alimentação) para participar do ‘VII Simpósio Internacional em Desenvolvimento da Primeira Infância’, ocorrido no dia 7 de novembro, em Fortaleza. As cinco experiências que mais destacaram também foram honradas com placas de reconhecimento.

        Foram premiados: “Projeto AFIN – Afeto na Infância. Você afinado com seu filho” – sob a responsabilidade da Vara da Infância e Juventude de Nova Odessa, em parceria com o Cejusc; “Protocolo de atendimento interinstitucional a mulheres que manifestam, durante a gravidez, o desejo de entregar o filho em adoção”, coordenado pela Vara da Infância, da Juventude e do Idoso de Santos – Seção Técnica de Psicologia e Serviço Social Judiciário; “5 Atitudes Guardiãs da Primeira Infância”, do CRAS Morrinhos – Centro de Referência de Assistência Social da Prefeitura Municipal do Guarujá; “O Cuidado com a Primeira Infância”, da Secretaria Municipal de Educação e Cidadania e Secretaria de Saúde de São José dos Campos; “Mamãe Bem Querer”, de responsabilidade do Instituto Social e Educacional Bem Querer para Sustentabilidade Comunitária, de Sumaré.

        O primeiro a fazer uso da palavra na cerimônia foi o juiz assessor da Vice-Presidência e integrante da Coordenadoria da Infância e da Juventude do Tribunal de Justiça (CIJ), Daniel Issler, que agradeceu a participação de todos e falou sobre a iniciativa. “Dezenas de práticas foram inscritas, tivemos a oportunidade de conhecer novos projetos, e hoje é o coroamento dessa etapa de nosso trabalho.”

Em seguida, o presidente do TJSP, desembargador Paulo Dimas de Bellis Mascaretti, ressaltou que o Tribunal é um espaço de cidadania, que possui uma missão social importante. Destacou que a área da infância e juventude é primordial e precisa de atenção permanente. “Reconhecer e disseminar as melhores práticas é fundamental. Quem atua com crianças e adolescentes tem que superar muitas adversidades, e sua dedicação faz a diferença.”

        O concurso teve origem no projeto Primeira Infância no Estado de São Paulo – O Papel do Sistema de Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente, realizado em parceria com a Fundação Maria Cecília Souto Vidigal e o Instituto Alana. Implantado no TJSP por meio da Coordenadoria da Infância e da Juventude, a iniciativa percorreu as dez Regiões Administrativas Judiciárias (RAJs) do Estado, sempre com muito sucesso.

        Participaram da solenidade o vice-presidente do TJSP, desembargador Ademir de Carvalho Benedito; o coordenador da CIJ, desembargador Eduardo Cortez de Freitas Gouvêa; e os desembargadores Antonio Carlos Malheiros e Reinaldo Cintra Torres de Carvalho. Também estiveram presentes a juíza da 2ª Vara de Nova Odessa, Michelli Vieira do Lago Ruesta Changman; a representante da Seção Técnica de Psicologia e Serviço Social da Vara da infância, da Juventude e do Idoso de Santos, Sandra Regina Pessoa de Meneses; a psicóloga do CRAS Morrinhos, do Guarujá, Ivelise de Souza Schalch; a representante  da Secretaria de Saúde e Secretaria de Educação e Cidadania de São José dos Campos, Marta Brasil S. L. Magalhães; a presidente do Instituto Social e Educacional Bem Querer para Sustentabilidade Comunitária de Sumaré, Vera Lucia Coltro; a coordenadora de Conhecimento Aplicado da Fundação Maria Cecília Souto Vidigal, Marina Fragata Chicaro, representando o presidente; a diretora de Advocacy do Instituto Alana, Isabella Henriques, representando a presidente; e convidados dos projetos premiados.

 

        Comunicação Social TJSP – VT (Texto) / KS (fotos)

        imprensatj@tjsp.jus.br