Justiça homologa plano de recuperação judicial de mineradora

Empresa é uma das mais importantes do Amapá.

 

        O juiz Paulo Furtado de Oliveira Filho, da 2ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais da Capital, homologou o plano de recuperação judicial da empresa Zamin Amapá Mineração, que havia sido aprovado em Assembleia Geral de Credores no último dia 5. A sentença foi proferida na quinta-feira (6).

        O magistrado destacou a importância social da companhia. “Em plena atividade tem potencial de gerar aproximadamente 700 empregos regidos pela CLT, 8000 empregos diretos e indiretos, além de demandar as atividades de outras 93 empresas da região, sendo o principal contribuinte do Estado do Amapá, e ainda a principal fonte de receitas e empregos nos Municípios de Pedra Branca do Amapari, Serra do Navio e Santana, todas no Estado do Amapá.”

        Para o juiz, o plano de recuperação judicial possui os critérios necessários para compatibilizar os interesses tanto da empresa devedora quanto dos credores. “Não resta ao juízo maiores dificuldades na sua homologação. Os credores das diferentes classes foram devidamente contemplados, o tratamento diferenciado dos credores quirografários hipossuficientes é economicamente justificável e os desembolsos do novo investidor para a retomada das atividades têm cronograma definido”, escreveu.

        Processo nº 1088747-75.2015.8.26.0100

 

        Comunicação Social TJSP – GA (texto) / internet  (foto ilustrativa)

        imprensatj@tjsp.jus.br

COMUNICAÇÃO SOCIAL

NotíciasTJSP

Cadastre-se e receba notícias do TJSP por e-mail