Acusados de cometer latrocínio contra policial são condenados

Crime foi presenciado por esposa da vítima.

        Dois irmãos foram condenados por decisão da 17ª Vara Criminal Central sob a acusação de latrocínio praticado contra um policial que foi  reconhecido em uma tentativa de roubo no interior da garagem da residência. Um deles, reincidente e autor dos disparos, foi sentenciado a 27 anos, dois meses e 20 dias de reclusão e outro a 20 anos de reclusão. Para ambos o regime inicial de cumprimento de pena será o fechado

        De acordo com relato da esposa da vítima, o policial manobrava seus carros quando foram surpreendidos por um dos acusados, de arma em punho, que anunciou o assalto. Com seu filho no colo, a mulher entrou na residência e ficou observando pela janela.  Quando o marido se preparava para entregar as chaves para o assaltante, este chamou o comparsa pelo nome para que ele ingressasse na garagem. Ao se aproximar do carro viu a arma e descobriu que se tratava de um policial, disparando duas vezes contra ele, causando a sua morte e fugindo em seguida.

        Na delegacia, a esposa reconheceu os acusados por fotografia e identificou um deles também pelo nome. Quando foram presos, eles negaram a prática do crime, apresentando versões desencontradas e não comprovadas durante o desenrolar do processo.

        O juiz Fábio Aguiar Munhoz Soares julgou a ação procedente. Em sua sentença, o magistrado destaca que a condenação dos acusados é medida mais do que esperada, visto que as declarações da esposa da vítima estão em harmonia com os demais elementos dos autos, além, do fato de ela ter reconhecido os acusados na fase policial e em juízo, por foto e pessoalmente. Cabe recurso da decisão. Os réus não poderão apelar em liberdade.

 

        Processo nº 0092938-68.2017.8.26.0050

 

        Comunicação Social TJSP – RP (texto) / XX (foto)

        imprensatj@tjsp.jus.br

COMUNICAÇÃO SOCIAL

NotíciasTJSP

Cadastre-se e receba notícias do TJSP por e-mail