Júri condena acusado de matar e esquartejar a própria tia

Réu fazia parte de um grupo de skinheads.

    A 2ª Vara do Júri da Capital condenou na noite de hoje (23) um jovem acusado de homicídio qualificado contra a própria tia, com quem morava na Capital paulista. Ele foi sentenciado à pena de 20 anos e um mês de reclusão, em regime inicial fechado.

    O réu também respondeu pelos crimes de ocultação de cadáver, vilipendiar cadáver ou suas cinzas e desobedecer a ordem legal de funcionário público. Consta nos autos que o sobrinho teria asfixiado e esquartejado a vítima e depois ocultado o corpo em um congelador por quase dois meses. O acusado, que fazia parte de um grupo de skinheads (grupo conhecido por pregar ódio às minorias), foi preso em agosto de 2015, após a tia ter sido dada como desaparecida. Ele tentou fugir dos policiais, mas seu carro colidiu com um poste e foi detido imediatamente.

    Em sua decisão, a juíza Fernanda Salvador Veiga destaca que, em 4 de novembro de 2014, o réu foi condenado em outro processo, também pela prática de homicídio, e estava respondendo em liberdade.

    Cabe recurso da decisão. O réu continuará preso.

    Processo nº 0011209-41.2015.8.26.0001

    Comunicação Social TJSP – DM (texto) / AC (foto)

    imprensatj@tjsp.jus.br

COMUNICAÇÃO SOCIAL

NotíciasTJSP

Cadastre-se e receba notícias do TJSP por e-mail