Cejusc de Atibaia realiza sessão de conciliação inédita e desperta a curiosidade da imprensa local

Conciliadora conduziu reunião dos EUA.
 
O Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania de Atibaia realizou, ontem (22), sessões de conciliação que fugiram do formato tradicional. Além de ocorrerem virtualmente, com o uso da plataforma Teams, na primeira, a conciliadora, que conduziu os trabalhos, estava na cidade de Indianápolis, nos Estados Unidos, onde vive atualmente. Na segunda, o juiz responsável pelos Cejuscs de Atibaia, Janiru e pelo Posto do Cejusc na 3ª Companhia da Polícia Militar de Atibaia, Rogério Aparecido Correia Dias, junto com os conciliadores, concedeu entrevista, também pelo Teams, para os jornalistas Marta Alvim e Luiz Gonzaga Neto, já que ambos queriam noticiar a novidade da audiência internacional.
Ariane Sabrina Batista é conciliadora há dois anos e se mudou recentemente para os EUA. Ao tomar conhecimento da realização de sessões de conciliação online, em razão da necessidade de distanciamento social, dispôs-se a continuar o trabalho que desempenhava em Atibaia, provando que a distância não é impedimento para a celebração de acordos. Ela destacou que a solução pacífica de conflitos tem agradado muito a população e que a demanda por esse tipo de recurso só aumenta. “As pessoas confiam muito no nosso trabalho. Durante a pandemia conseguimos seguir o objetivo de cultivar a paz e nos reinventamos ao invés de colocar barreiras no trabalho remoto. Tive a honra de conduzir essa sessão mesmo estando em outro país, o que demonstra o potencial de alcance da videoconferência”, disse.
Segundo o magistrado, as pessoas em conflito tendem a procurar uma solução rápida para seus problemas. “No campo em que atuamos, nada é imediato, tudo precisa ser trabalhado e o remédio é sempre o diálogo, em especial nos conflitos que envolvem as relações familiares”, ressaltou. O juiz lembrou a célebre frase de Mahatma Gandhi para exaltar o trabalho dos centros judiciários: “Não há caminho para a paz, a paz é o caminho”.
O jornalista Luiz Gonzaga Neto compartilhou suas impressões sobre o trabalho do Cejusc e sua experiência pessoal com o serviço. “Aqueles que trabalham com conciliação e mediação, geralmente, são pessoas entusiasmadas pelo tema, e o mundo de hoje precisa dessa postura. Eu não sou apenas um apoiador, tenho gratidão pelo Cejusc, que ajudou na reestruturação da minha família e da vida do meu neto. Testemunhei a importância do trabalho de vocês e serei eternamente grato”, disse. Marta Alvim, jornalista que também é aluna do curso de Direito, contou como vê o trabalho do Judiciário e que acompanha os Cejuscs desde a instalação da primeira unidade. 
Também participaram da entrevista os gestores dos centros de conciliação, Edson de Oliveira Dorta (Atibaia) e Marcos Ximenes de Brito (Jarinu), a conciliadora do Posto do Cejusc na 3ª Companhia da Polícia Militar de Atibaia, Viviane Porfirio da Silva, e a colaboradora de Jarinu Selma Neves.
 
Vale destacar – Nas sessões de conciliação virtuais, o Cejusc de Atibaia obteve 90% de acordo nos casos de família e 75% nos casos cíveis. O de Jarinu realizará sua primeira sessão virtual na próxima sexta-feira (24) e o da 3ª Companhia da Polícia Militar – instalado em 19 de março último – tem sua primeira audiência marcada para a próxima semana.

 

Comunicação Social TJSP – AA (texto) / Reprodução (fotos)
imprensatj@tjsp.jus.br

 

Siga o TJSP nas redes sociais: 
  www.facebook.com/tjspoficial
        www.twitter.com/tjspoficial
        www.youtube.com/tjspoficial
        www.flickr.com/tjsp_oficial
        www.instagram.com/tjspoficial 

COMUNICAÇÃO SOCIAL

NotíciasTJSP

Cadastre-se e receba notícias do TJSP por e-mail